quarta-feira, junho 22

Baseado em Antharius

Construí um castelo
De vento
Nos cabelos
A madrugada liberou um pesadelo
Sonhos
São anseios de desejos triviais
Sua mente
Libera as paranóias que consegui encarnar
No meio da pradaria
Tinha um animal morto
Crucifiquem-me em Antharius
Nome da seda
Meu inverso foi melhor que o seu
Ontem à noite cumpri o pecado
Alucina em meus braços
Gela seu pescoço em meu soluço
Até aí tudo bem
Eu sofri e alguém me bateu forte
Alma descambida
Lágrima absorvida
Continuar a ser Deus?
Pensei que não existia amor e fome...

quarta-feira, outubro 16

Ava Gardner Heros

"Nunca deixe um estudante Erasmus usar teu computadore": Bruno Aleixo

"Os homens que usam brinco são drogados!" Bruno Aleixo


Você que não conhece, veja e você que não lembra mais, reveja!



Para Heros, nunca te esqueço brô!

Karen


O show do Black Sabbath em POA Brasil

Demorou pra eu escrever sobre este show.

Fomos a Porto Alegre ver o Black Sabbath dia 9 de outubro de 2013. As passagens aéreas e ingressos já estavam comprados desde junho e a expectativa era alta. Em 2011 fomos (eu e meu marido) no show do Ozzy em Porto Alegre e adoramos. O show foi no Estádio Gigantinho, do Inter, super organizado, sem empurra-empurra, vários dinossauros do rock, crianças, adolescentes, lindo! Ah! Vários telões circulando e isso fazia com que o show pudesse ser visto de qualquer lugar sem precisar gastar um VIP.

Ledo engano no último show do Sabbath em Porto Alegre. Estacionamento da Fiergs era o local, um baita estacionamento de concreto. Mesmo o ingresso sendo caro para a pista, fomos. Decepcionante o lugar, na minha opinião, produção péssima. Como não tinham telões altos para o público de trás. Simplesmente não dava pra ver nada porque o palco era baixo, o terreno plano. Na pista, centenas de pessoas se empilhavam e se armavam de celulares para filmar o show. Eu vi um pedaço do show na frente, um tico no meio e algo da banda na música Black Sabbath, uma das mais perfeitas execuções que já vi na vida, de relance.

Sem delongas e sem táxis para levar quase 15 mil pessoas na saída. A prefeitura cedeu uns ônibus e fomos embora. Quase 1 hora e meia depois estávamos no centro. Quem não foi de carro, basicamente penou.

Valeu a pena apesar disso, foram 16 músicas impecavelmente apresentadas. A dupla Geezer (baixista) e Tony Iommi (guitarrista) estavam operando uma orquestra maravilhosa. Sem eles, nada existiria. Ozzy reclamou da canseira do público: "Cuco, cuco!" e deve ter percebido na platéia super jovem, um desconhecimento dos clássicos, as mais antigas e uma volúpia nas músicas mais conhecidas, tais como "War Pigs", "Black Sabbath", "Iron Man", "God is Dead" e "Paranoid".

Pra mim, as músicas mais lindas e que quase chorei foi "Behind the Wall of Sleep" e "Iron Man", principalmente porque eu estava lendo passagens da biografia do Tony Iomm, que se chama "Iron Man" e estava apaixonada pela história de vida do cara. Além de ser o grande compositor ao lado do Geezer é um Deus segurando aquela guitarra. 

Tommy Clufetos substituindo Bill Ward na bateria parecia o Ward nos anos setenta, inclusive na indumentária. Não deixou a desejar e mostrou a que veio quando o show foi cortado na metade pelo solo em "Rat Salad" (Followed by Tommy Clufetos Drum Solo).

O show de abertura, banda Hibria, heavy metal tradicional gaúcho foi bom, com platéia regional cativa e Megadeth fez um excelente show, perfeitinho com recursos de imagens muitas vezes exagerado para compensar os efeitos na voz de Mustaine.

Total de quase 6 horas em pé porque a estrutura do lugar não dispunha de banco algum, só o chão. Saldo: pessoas cansadas demais na platéia, quase bobas e insoladas se apertando como podiam. Mas show de metal é isso, tem que ser macho pra encarar!


Setlist do Megadeth:
Hangar 18
Wake Up Dead
In My Darkest Hour
She-Wolf
Sweating Bullets
Kingmaker
Tornado of Souls
Symphony of Destruction
Peace Sells
Holy Wars… The Punishment Due


foto extraida do site www.mundogaucho.com.br

Eu no estacionamento da Fiergs, sol à pino!



Setlist do Black Sabbath:
War Pigs
Into the Void
Under the Sun/Every Day Comes and Goes
Snowblind
Age of Reason
Black Sabbath
Behind the Wall of Sleep
N.I.B.
(Preceded by “Bassically” … more)
End of the Beginning
Fairies Wear Boots
Rat Salad
(Followed by Tommy Clufetos Drum Solo)
Iron Man
God Is Dead?
Dirty Women
Children of the Grave
Paranoid

Abraços,
Karen Tortato

O endeusamento da infância

Como muita gente sabe, eu não tenho filhos. Quem sabe um dia, com esta medicina tão avançada, porém agora ainda não. Tenho vários amigos da minha geração que já são pais e parentes, idem, com crianças entre 1 ano e 13 anos.

Hoje assisti um psicólogo infantil no Bom dia Paraná falar sobre o endeusamento e supervalorização da infância nos dias de hoje. Ele dizia que hoje os pais criam os filhos com um grau de proteção e quase sem exigências de responsabilidade. Engraçado que é bem isso.

Outro dia vi uma mulher com uma menina de uns 2 anos e meio na lanchonete. Ela perguntava se a menina queria suco ou refrigerante. Achei aquilo um absurdo. Se eu fosse mãe, nem perguntaria, daria o suco e ponto. Principalmente porque o suco é mais saudável e porque quem decide nesta idade o que comemos são os pais ou tutores. Uma criança pequena não deveria decidir se quer salada ou batata frita.

Fico triste de ver os pequenos ditadores à mesa fazendo birra e exigindo de pessoas mais velhas, cardápios especiais. Estas crianças que depois vão à escola e ficam inquietas na cadeira na sala de aula, competindo para ver quem tem o celular e o tablet mais moderno, fazendo o professor de gato e sapato. Alguns pais deixam a função "modo" educar para o pobre do professor. Antigamente a criança deveria vir educada de casa, mas o que se vê hoje é aluno agredindo professor, rindo e fazendo pouco caso.

Sei disso e me sinto à vontade pra falar porque sou casada com um professor universitário que tem nas salas de aula dos dias de hoje, alunos maquiavélicos, sem educação, destemperados e ameaçadores. São pessoas no auge dos 20 anos de idade que são trainées no mercado de trabalho e dizem para o professor se calar abertamente e sem vergonha alguma. Estes "jovens" serão os adultos no mesmo mercado de trabalho. Jovens cujos pais fizeram toda sorte de vontades e não foram acostumados a esperar tampouco batalhar por algo. Tiveram tudo na mão e não aprenderam bem a ouvir a palavra não sem a justificativa do porquê.

A educação privada em muitos casos, trata estes alunos como clientes. Os diretores são hoje Gestores e exigem da equipe: resultados. É o comércio da educação.

Me perdoem amigos e parentes com crianças pequenas, mas aqui é meu blog e falo o que penso. Aqui não é a Rede Social da moda onde se explana uma opinião recebe uma saraivada de balas. Fico triste ao ver a quantidade de brinquedos que as crianças ganham hoje somente "por existirem".Pais subjugados por seus filhos por que sentem culpa por não poder estar à disposição deles o tempo todo.

No meu tempo de criança eu tinha uma mesa farta de legumes porque era o que tinha pra comer, aprendemos a gostar vendo os adultos fazerem, quando crianças apenas copiamos. Palavras hoje são perigosas também. Ontem vi na TV uma psicóloga infantil dando uma lista de frases que não podem os pais nunca dizerem aos filhos. Hoje tudo traumatizará o pequeno Deus.

Não tenho conhecimento prático na arte de educar até porque nunca fui um exemplo de educação, fui criada na base do tapa, mas com muito amor, paralelamente. Talvez hoje eu tenha algumas sequelas psicológicas mas saí na luta da vida e construí uma história independente de quem me criou.

Não dou palpite na educação dos filhos dos outros porque já ouvi mais de uma vez coisas do tipo: "Tenha seus próprios filhos!" Estou indignada sim, com esta juventude ditadora e ao mesmo tempo bunda-mole. Paralelamente vê-se crianças maravilhosas, boas e que sabem dividir e respeitar. Filhos que valorizam e respeitam os mais velhos, filhos que ainda podem ajudar a construir um mundo menos egoísta.

Finalizando tenho que lembrar de uma dupla de meninos que não acompanhei o crescimento, infelizmente, mas vi a mãe desde cedo exigir que as crianças cumprimentassem as pessoas e pedissem licença, por favor. Estes irmãos são primos meus de terceiro grau, hoje, jovens inteligentes e criativos que dá gosto de acompanhar, mesmo de longe. Tenho vários primos que cresceram comigo e hoje, tenho orgulho de lembrar de nossa infância cheia de alegria apesar das dificuldades.

Ah! Meus afilhados pequeno!s Nem sempre sei como agir,  e muitas vezes só posso dar amor e dividir meu talento para brincar e rir. Nem sempre tenho dinheiro pra enchê-los de presentes. As mães, sabem disso e esperam de mim, beijos e abraços, amor e a convivência sadia.

Sou da moda antiga, cheguei na fase de dizer coisas do tipo: "No meu tempo era assim, era assado..." e vendo reportagens de crianças no crime, crianças matando, roubando, sexualidade precoce, agredindo os adultos, me deixam abalada e cada vez menos à vontade na presença de pequenos ditadores.

Se vou virar "a louca dos gatos", talvez, mas quero ter a consciência de poder ajudar os pequenos ao meu redor a serem melhores do que fui e melhores que as crianças estragadas. É um reflexo da atualidade, eu sei, crianças não podem e nem devem sair sozinhas na rua porque podem ser sequestradas e molestadas. Ficam reféns do videogame, até aí tudo bem, é bom para o intelecto. O mundo está estranho, apocaliptico demais pro meu gosto. O ser humano está se idiotizando na mídia de massa, muita porcaria pra assimilar, pouca leitura, sei lá.

Tenho uma afilhada grande, fui madrinha de casamento dela. O filho dela é algo muito cativante. Educado, intenso, inteligente, com um vocabulário lindo pra uma criança de 7 anos. Significa que ainda temos chances...não tô amargurada, de forma alguma! E pode discordar de mim, fiquem à vontade.

A educação é pra sempre!

Um bom artigo aqui, leia se quiser,

http://www.aprenderaser.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=31:educacao-para-a-infancia-o-que-significa-infancia-hoje&catid=10:textos&Itemid=12


É isso, boa sorte jovens pais e como dizia minha vó: ´"- É de pequenino que se torce o pepino!"

Beijos
Karen


sábado, fevereiro 23

Livros e música


Sempre tive" bons excelentes amigos", que percebendo meu interesse por música me deram presentes relativos.

O primeiro livro sobre música ganhei do amigo André Sakr. A compilação em duas partes da tradução de Please Kill Me (Mate-me por favor). Este livro, apesar de dizerem que trata de assuntos errôneos sobre a história do rock nos EUA e Inglaterra, me mostrou facetas e fez eu ir atrás de vários ídolos. Levei o livro para passear nos EUA. Fui até Ann Arbor visitar a cidade onde Iggy Pop nasceu e viveu até a Fun House, sua primeira sede. Também, em Detroit, vasculhei algo sobre Wayne Kramer dos MC´5.



Please Kill Me, edição em português pocket book que ganhei do André Sakr. 
Sem querer, acabou do lado do livro do Fernando Sabino, O Gato sou Eu, que ganhei do Heros Mussi Schwinden uns anos atrás!




Depois, bem mais tarde, ganhei o livro Apenas Garotos, sobre a vida de Patti Smith, uma autobiografia cheia de fotos fantásticas onde ela mesma relata sua incursão ao mundo da poesia e ídolos do rock no início do CBGB´s. Também fala bastante de sua relação amorosa e duradoura com Robert Mapplethorpe até ele se assumir homossexual. Este livro ganhei do Eduardo, hoje meu marido, colecionador de vinis e estudioso do Rock. Ironia do destino, ele me presenteou com um livro muito bem feito da História dos Ramones e outro, que não é rock, mas adoro, do meu ídolo brasileiro Chico Buarque.



Tenho um amigo "brother" de mais de uma década, o Heros, que neste aniversário de 39 anos me presenteou com um livro muito arrebatador. A autobiografia de Johnny Ramone, dos Ramones, banda que sempre gostei muito. Tenho camisetas, discos e agora, dois excelentes livros.

Este livro, em particular disseca detalhes tenebrosos da personalidade do Johnny Ramone. Um irlandes-americano (que se considerava americano puro), filho de militar, meio reacionário, super republicano anti-comunista. Durante um período da leitura, me decepcionei com a ranzizice dele e suas ideias totalmente preconceituosas, porém se não fosse ele, os Ramones nunca teriam virado uma lenda. Autoritário e de poucos amigos, não colecionava mulheres, nem usava drogas, ao contrário de Dee Dee Ramone, que era um dos grandes baixistas e gênio criativo dos Ramones assim como Joey que eram difíceis e loucões. Por incrível que pareça, ele não gostava muito dos integrantes da banda, via a banda como um emprego que o fez acumular 1 milhão de dólares até 2004, quando veio à óbito de câncer de próstata.

Vale a pena conferir. Edição de luxo, capa dura e fotos bacanas. Excelente presente para eu sempre lembrar destes amigos que conviveram comigo por 1 década de rock, apaixonadamente!


Comando de Johnny Ramone, presente de Heros Schwinden, meu amigo irmão.
abaixo o livro de arte Kokeshi que ganhei de João Acuio, outro amigão!


Chico é MPB, um punk brasileiro, se por assim dizer, este livro, que ganhei do Edu Rock é bárbaro e relata fatos com fotos e documentos, falando tudo, inclusive sobre o exílio de Chico. The Best.


Karen


quinta-feira, fevereiro 14

2013 - Recuperação da opinião por meios próprios

A saída pela direita.

Quando resolvi dar um sumiço da face do macromecromicromocromundo alternativo-rock, a minha saída por motivos espiritualistas. Saúde mental. A energia dos lugares estava me cegando (cagando?) e eu cega, fazia coisas estúpidas e me relacionava com pessoas mal intencionadas e usurpadoras. Um dia, conheci (Jesus?) o amigo de um (amigo) conhecido de noites e bares e shows de rock. O amigo do amigo também estava um pouco cansado do excesso de autopromoção e glamour vampiresco que a noite proporcionava. O que era fantástico na década do início de 2000 até um certo período, não é mais. Fui em todos, quase todos shows de rock que eu queria e todas as baladas possíveis. Sempre é bom e chique sair no meio da festa, eu sempre era a última a sair!

Não viramos xiítas e não deixei de gostar de encontrar amigos legais e pessoas que gosto por aí, porém chega determinada época que tudo fica repetitivo e pastoso e voltar de táxí sozinha bêbada pra casa as 4h00 da manhã já não emociona muito depois dos 35 anos. A não ser que você tenha saído de um casamento torturante e engordativo de 20 anos e queira ir afórra. Não era meu caso porque sou e sempre fui independente demais pra aceitar coleiras machistas. Hoje sei ficar em casa. Gosto de curtir o calor das pequenas coisas e passar uma sexta-feira costurando bichos de pano pra vender em feiras e pras amigas, vendo filmes, ouvindo velhos e novos discos, desenhando, cuidando do Borba e do Edu.

Talvez um dia eu queira dançar na festinha da moda, não sei. Hoje só penso em viajar mais por lugares do Brasil que nunca fui, recuperar a saúde perdida nos anos de futilidade e ter sempre os verdadeiros amigos por perto. Pelo menos os que ficaram por perto. como diz o Lourenço Mutarelli que ficar em casa com amigos bebendo e jantando à vontade porque dá pra fumar, etc.

Engraçado que quando você dá um tempo de sair na night, as pessoas simplesmente somem. Páram totalmente de te procurar, mandar mensagens e emails, telefonar, nem se fale. Você não é mais cool, é chata e nem pra churrascos e jantares você não vai mais alegrar o ambiente. Os amigos não, estes sempre que posso vejo, nas casas deles ou em reuniões menores, mais claras e lúcidas.

Eu continuo a mesma, com ou sem litros de vinho na cabeça. Talvez meu metabolismo, mais lento por causa da idade me obrigue a ter um controle rígido na alimentação e hoje pratico mais atividades físicas. É bom também caminhar no bosque de Portugal com várias pessoas diferentes de várias idades, longe do centro, perto da natureza. O corpo muda. Batata! Ainda mais pra quem tem herança genética italiana e os genes se aglomeram ali na parte quadrilenha. Como eu não sou a Flávia Alessandra da Globo, que com 38 anos tem um corpo seco e malhado de correr 12 km por dia, acostumo com algumas coisas e presto atenção em outras, sem neurose, cruzes. Dá saudades da silhueta fina de outrora, da cintura de pilão, mas a mente e a psiquê estão bem mais sagazes e refinadas.

Vamos aí, amadurecer é bom, já dizia a Mara Cristina Barrichello.

Beijos e fiquem com o Borba Gato abaixo.




Segue um Youtube cinematograficamente divertido:

Aqui: http://www.youtube.com/watch?v=CCcvu48yKbU

segunda-feira, setembro 17

novo website portfólio

Novas maneiras de ver o mundo através do design, das artes e entretenimentos. Velhos recursos como o lápis e a caneta nanquim, e mais a vontade de ser independente por condições melhores de trabalho para a nossa manjada profissão!



sexta-feira, novembro 11

Curitiba Deluxe - Blog: O primeiro EP de Vilma Ribeiro

Curitiba Deluxe - Blog: O primeiro EP de Vilma Ribeiro: Alessandro Reis Um momento de consolidação. É assim que a cantora Vilma Ribeiro define o lançamento de seu primeiro EP – Vilma Ribeiro – ...



sábado, junho 18

Conhecendo pessoas around the bolha (clique no título e ouça a trilha)



Hoje pensei, pensei e pensei. Também! Fiquei 7 horas na Santa Casa de Miséria e Concórdia de Curitiba! Não estou doente, mas fiquei acompanhando o meu noivo numa emergência médica. Foi bom pelo simples fato de poder olhar, ver e repensar um monte de coisas. Uma delas que o sistema médico no Brasil, o sistema quase-público é uma violência à humanidade. Sim, porque coitado dos profissionais que ganham mal, eles trabalham com saúde e coitada das pessoas que vem de longe pelo SUS atrás de um leito pra se internar e chegam aqui cedinho e não tem cama pra internação. Porém é de se entender, afinal as prioridades emergenciais foram chegando e as camas foram sendo ocupadas por aqueles que chegam mais perto do abismo. A gente esperou ali.Aquela moça que pretendia o quarto ficou comigo na sala aguardando e conversando.

Ela tem problemas renais e é bem jovem. Ela tinha paciência, uma pessoa que se vê, sofrida, mas bastante cordial e que se interessava em ver, ouvir e não era só pra passar o tempo. ela veio de bagagem e ali ficou. Lanchamos juntas na lanchonete do hospital. Horror terror, mas tudo bem.

Uma senhora animada acompanhava o marido com a filha e o casalzinho de netos pequenos que estava apavorando no PS. Gostei daquela mulher, muito. Uma senhora negra de bem com a vida. Tem que ser, oras. O marido perdeu a perna na diabetes e praticamente mora na Santa Casa e estava ali deitado aguardando o leito com um tumor no pescoço. Mulheres são fortes, gosto de ver!

A dona Francisca cuida do marido e faz coxinhas e risóles, também faz empadão pro povo ali do Atuba. ela disse que ama fazer isso e assim sustenta a casa, já que o marido paga a prestação do financiamento com a aposentadoria de invalidez, ex- pedreiro.

Mas isso não é pra soar triste, só pra contar porque as pessoas estavam conversando e não falavam só de dor. Ela falava do ponto exato da massa da coxinha! Eu amo coxinha, hahaha. Minha amiga Fernanda Oliveira detesta coxinha. Toda vez que como, penso nela. Ela diz que coxinha tem frango mastigado dentro!

Eu estava escrevendo sempre no Saturnalia que aliás continuo amando. Tinha meu próprio, ainda tenho, ali "Livro de auto ajuda de Karen Tortato"...problema que eu acabava sempre escrevendo sobre mim na primeira pessoa e não auto ajudando ninguém. Dai pensei assim, agora, quer falar mais, não vai lá no Facebook, escreve no seu blog. Mate os demônios e vá comer coxinha.

Eduardo passa bem,

Beijos e bom sábado!

trilha sonora dos meus 11 anos: 1985 -
Slade - My on My (dança e coca-cola)

http://www.youtube.com/watch?v=Zm6npiXaotA

quarta-feira, outubro 27

O Sapo Voador Esquizofrênico



Veja antes um pouco de Martin de Thurah, um presente divino do meu pai @andresakr



Se você não dormiu, pelo menos relaxou. Eu relaxei. Tenho que confessar que a Lua tava linda no céu de Brigadeiro e me acalmou assim como as notas da Plenitude desta música. A palavra da hora é a plenitude. Música Plena, massa.

Os demônios estão se esvaindo como larva leve e sem pavor. Hora de seguir a minha intuição, amigo sapo. Fazer alianças sólidas, realizações combinam muito com o momento. Saturnália Esquizofrênica, colisão, espero...

Sapo Evil da política brasileira. O que significa aquele debate? Sem comentários. Siga meu Twitter de autoajuda cáustica e leia os tags que fiz para #debatedelirante (@karentortato) e perceba que ter candidato que confunde Prisional com previdencional é o fim da baiúca caiada em pé de morro aterrado pelo Incra.

É o fim do mundo, minha gente. Se discute o Sal na pré história, o céu e o sul? Se discute o quê? Se discute, se distrai...Foco nela!
Se digamos, estamos num sistema feudalístico, se digamos, estamos também numa encrenca. Como disse o @aguiaredu sobre o petróleo - estamos em maus lençóis...fecha isso.

Deixa eu voltar pro meu foco então, Acuio. Não me distraia com essa Lua geminiana de novo, povo...

O tema hoje é PAIXÃO. O cartunista pode ser?



Falando com um senhor mais velho que eu e mais experiente outro dia, um advogado, seu José Maria, repeti a ele o que eu disse no jogo para meus correligionários torcedores:

- O que ocorre é o infantilismo do homem adulto moderno!


O homem moderno não pode mais fazer nada, não pode fumar ao ar livre sem cercadinhos, não pode falar, se expressar, tudo é censurado, inclusive, não pode também na Internet. Casa civil, Casa da dinda...o homem adulto acabou e o que resta são meninos de barba burocratizados com medo de se entregar à paixão..falta cronistas nos jornais que escrevam com paixão...Nelson Rodrigues se revirando no caixão.

O medo do outro, o medo do medo...Meodeos...

Eu também não quero ser um zumbi...

Sei que eu não disse nada com nada no Livro de Karen Tortato, mas digo mais...

Faça como eu, neste feriado vá se jogar num ribeirão ou numa praia....Solidão...Vou para Florianópolis criar alguns monstros e zumbis.

E como estou numa fase de me revisionar, achei esta foto minha de quando eu entrei na Belas Artes. sim, meu cabelo aí tá natural eu sou BLONDE!



Beijo no sapo que não quer virar príncipe.

A cidade esvazia @caiomarqs


Karen Tortato
azórdem

Tags especiais: #asstag #desista #passional #previdencional

quinta-feira, outubro 21

Buááá Noite, Boooom Dia! Astrofagia do Futuro

Saturnálicos voadores!

Astrofagia é o ato de engolir planetas, Luas e estrelas, abocanhar o universo, mêmo!

Em prima pasta quero nos parabenizar a nós mesmos, haha. Acuio e sua equipe espacial donde faço parte, à bolonhesa, porque estamos entre os 30 MAIS VOTADOS NO TOP BLOG!

Salva de palmas (gritos, uivos, astronaves no céu, raios, cometas, maré enchendo, maré esvaziando, barriga roncando), salvem-se e votem AQUI. A salvação não está nas tabuletas no velho barbudo e sim aqui no microcosmos recheado de asteróides e cometas inflamados prontos pra atingir sua mente e seu coração! (mais palmas!)

O céu uiva, urge, se soma, se subtrai, se condensa e se expande! O céu clama, Lua em Peixes e meu objetivo desta lunação pode ser o seu também!

Seguir os conselhos da távola redonda do sul de Júpiter: renda-se ao benfazejo de O SER O QUE VOCÊ É. Se ame, se assume, se PLUTE! Conquiste o seu território com menos bombas atômicas! Mais paixão no que faz, menos drogas pesadas, menos líquidos néons e mais AMOR! Mais gols, mais Aleixos, menos gosmas sufocantes! Mais cachorros e gatos, mais correria e mais calmaria.



A garantia é o privilégio de estar lendo uma revista electrônica de alta voltagem que soube conquistar um público cativo pelo cosmos do cyberespaço e também fora dele. Agradeço às nossas leitoras queridas e ativas que sempre comentam e geram frenesi. Da Kris passando pela Cláudia, Ludmilas e Anas, amamos vocês. Os meinos também porque sabemos que temos uma pá de fãs de cuecas! :)

Pausa pro som na caixa:



Por que sempre o @caiomarqs, Karen? que obcecada! Porque ele é um compositor genial que escreve músicas SUPER CIDADE, SUPER CURITIBA e atingem meu coração como flechas envenenadas, além de me curar e costurar os vazamentos do meu coração! Clap! Valeu Caio Marques, este post é pra tu, amigo!

Foto mais linda do ano que traduz a minha felicidade e ainda mais do lado de uma pessoinha que amo!



Eu e Alanis da @anneloise um pouco antes de eu ir pro jogo do meu time!

"Nunca deixe um estudante Erasmus usar teu computadore": Bruno Aleixo

"Os homens que usam brinco são drogados!" Bruno Aleixo

Beijos portugueses

Karen Cosméctologia Tortato

sexta-feira, outubro 15

MORTE




Exposição virtual da desgraça!
Fotos da série A Morte da Carne
por Jeanine Lemos Boggio

"O choro da energia abandonada..."
Augusto dos Anjos

"Todo meu tempo foi roubado...até consigo dar um passo. Até posso me ausentar, nem quero."
Caio Marques

quinta-feira, outubro 7

Comment Te Dire Adieu?



Sous aucun pretexte
Je ne veux
Avoir de reflexes
Malheureux
Il faut que tu m' explique un peu mieux
Comment te dire adieu
Mon coeur de silex
Vite prend feu
Ton coeur de pyrex
Resiste au feu
Je suis bien perplexe
Je ne veux
Me resoudre aux adieus
Je sais bien qu'un ex
Amour n'as pas de chance ou si peu
Mais pour moi une explication voudrait mieux
Sous aucun pretexte
Je ne veux
Devant toi surexposer mes yeux
Derriere un kleenex je saurais mieux
Comment te dire adieu
Comment te dire adie
Tu a mis a l'index
Nos nuits blanches nos matins gris-bleu
Mais pour moi une explication voudrait mieux
Sous aucun pretexte
Je ne veux
Devant toi surexposer mes yeux
Derriere un kleenex je saurais mieux
Comment te dire adieu
Comment te dire adieu

Sob qualquer pretexto
Eu não quero
Ter reflexos
Estou Infeliz
Você tem-me explicar um pouco melhor
Como você diz adeusMeu coração de pedra
Rapidamente pega fogo
Seu coração pirex
Resistente ao Fogo
Estou muito confusa
Eu não quero
Resolva dizer adeus
Eu sei que um ex-O amor não tem chance, ou muito pouco
Mas, para mim uma explicação melhor seria
Sob qualquer pretexto
Eu não quero
Antes de expor demais os meus olhos
Atrás de um lenço de papel que vou conhecer melhor
Como você diz adeus
Como se diz Adeus
Você coloca o índice
Nossas noites sem dormir nossa manhã cinza-azul
Mas, para mim uma explicação melhor seria
Sob qualquer pretexto
Eu não quero
Antes de expor demais os meus olhos
Atrás de um lenço de papel que vou conhecer melhor
Como você diz adeus
Como você diz adeus

Excessiva demais



Je n'ai pas d'excuse,
C'est inexplicable,
Même inexorable,
C'est pas pour l'extase,
c'est que l'existence,
Sans un peu d'extrême,
est inacceptable,

Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout accélère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Quand tout explose,
Quand la vie s'exhibe,
C'est une transe exquise

Y'en a que ça excède, d'autres que ça vexe,
Y'en a qui exigent que je revienne dans l'axe,
Y'en a qui s'exclament que c'est un complexe,
Y'en a qui s'excitent avec tous ces "X" dans le texte

Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout accélère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Quand tout explose,
Quand la vie s'exhibe,
C'est une transe exquise, (ouais).

Je suis excessive,
J'aime quand ça désaxe,
Quand tout exagère,
Moi je reste relaxe
Je suis excessive,
Excessivement gaie, excessivement triste,
C'est là que j'existe.
Mmmm, pas d'excuse! Pas d'excuse!

segunda-feira, outubro 4

Dicas de felicidade e palito de dente



Quando desenhei isto...



Esta foto da Adri Vecchi
Samara no barco



Esta foto de Samara do chamado com André Brontossauro

Full! Cartas na mesa, blefe e organização!



Bom dia, saturnaliados de outubro. Que bom que chegou o mês de outubro. O mês mais movimentado que já vi, cheio de pessoas fazendo aniversário. Entupido de librianos e aliás, 80% das pessoas que eu conheço são librianos. Adoro!:]
Acordei pensando em cartas de baralho. Me veio à mente os naipes e a sequência de um full de pocker. Porém como pensei nisso e não apostei fichas, descartei o jogo. Me veio uma série desembaralhada. Dor de cabeça, mágica!

Blefei de novo, as cartas maiores voltaram à minha mão. Um par de Ases...asas voadoras, um meio ao sim e um não!
Daí pesando os prós e contras lancei de antemão e tomei as rédeas de uma vez por todas. Joguei com 4 pares de dama.

Cotidiano. Tudo sempre igual, os mesmos azares. A sorte lançada e agora o segundo turno. Mais jogos. Uma emenda e uma bala de menta. Mais balas na agulha, balas e chicletes e apostas menores podem aumentar as suas chances de ganhar!



Pausa pro café. Tomei 3 cafiaspirinas, relutei em acordar, o jogo na cabeça, a sequência matadora voltando aos poucos. Mais um Rei se encolhendo de medo. Que tortura, adoro jogar, blefo muito bem, mas quando penso em equilíbrio, distância o jogo não vem...

Me sacudam saturnálicos. Tenho balas no bolso, balas sem papel. Tenho uma consciência de toda essa melação. Equilíbrio libriano é a ordem do dia esta semana.

Esta vai para o Cassiano Fagundes! @cassimf




Cartas embaralhadas na mesa. Um presságio, um outubro, um naipe. Escolha o naipe? Escolha a função que você quer para sua carta tirada. Os sortudos colhem mais ficha. Porisso, sangue nos olhos agora, força e amadurecimento no jogo.



Dia 23 de outubro vai ter oficina pra crianças. Adoro naipes baixinhos!


Sem jogos, no games.




Com 52 cartas de quatro naipes e um curinga você pode se encontrar e com sorte elaborar as coicidências na sua cabeça. Mentalize e planeje. Escolha o éter, a benzina ou água, remova a gordura da mesa e tire uma carta, faça um castelinho com elas. Volte a sua opinião de trás pra frente. Caçoe do destino, não jogue, não se martirize. Seja elegante, jogue com vigor. Jogue tudo pra cima e vá brincar lá fora, depois que o aguaceiro passar...Vá fazer um tapete de cartas na grama da sua vida!

Viva o jogo do equilíbrio de Libra!

Muito boa semana sem jogatinas, ok?


Karen Às de Espada Tortato

Post de hoje é para ela:


Naipe baixinha liderando o Clube da Canastra!
(desenho que fiz pra uma garotinha muito especial)

segunda-feira, setembro 27

Sonhos são anseios de desejos triviais

Sonhei hoje que eu e o André Sakr fizemos um comercial pra NET junto com o russo que é o garoto propaganda. O comercial passa no Youtube e chama-se Exceleeeeeenteeee!. Depois fomos pra igreja ver um "noivado" da Dayane.

Na frente da igreja tinha uma oferenda. Eram luvas cirúrgicas dispostas: a mão de cima era do noivo e a de baixo da noiva, cheias de mato dentro. Entrei de biquini na igreja.
Fim

Para minha consultora e sonhadora @fergis

sexta-feira, setembro 24

Quantas arrobas valem uma Carne?

POLÍTICAS DE MUNICIPALIDADE

Quantas @@@ valem @karentortato?

Quanto você vale, mermão?

Estava descendo (a Ipiranga com a Avenida São João) quando me deu um clique ao passar na frente da @casalilas (mais arrobas) e resolver almoçar ali, sloooowwwwly.

Correto. Peso do prato: arrobas equivalentes à R$ 4,00. Vacas magras, menos arrobas...

Nada a pensar a não ser contemplar garrafas de cachaças antigas e pensar no meu tio: VAT 66 - @frankvegas (lembra tio, antes éramos apenas bloggers).

Depois de observar as lindas figuras católicas coladas como rótulos nas garrafas estava eu la umbigando sozinha de novo e desviando a torrente de pensamentos para o som no talo que eu ouvia: SONIC YOUTH

Sonic Youth - "Sacred Trickster"

http://www.youtube.com/watch?v=pKlbBgQHPqo

Tudo pronto, almoço leve...pensei no rapaz que sentava sozinho ao meu lado naquele mar de mesas de toalha de chita (xita? chipa?) e que comeu 1% do prato e deixou 3 panquecas inteiras...

Volta a bobina e deixa a chita. Desperdício de arrobas da parte dele...


chita

Ontem à andei com @ACUIO pela XV (15 arrobas de trajeto no chão batido). (Pra quem não sabe, ele é meu astrólogo e parceiro no site onde escrevo meu Livro de Autoajuda de Karen Tortato)...tempo...respira...aparamos na boca Maldita, bem no meio 22 horas.

Encontrei a @lisasimpson hoje, a gente costurou, pagou, trocou abraços...amizade!

Dai despenquei pra rua abaixo mais devagar ainda. Vi um rosto, sorry...quer dizer, eu sorrí. ele não devolveu, não conheceu, esqueceu...

Daí vi o Glaucio, abraço, mais abraço...dia de hugs free...dia de Rita Lee...



Eu fico por aqui pensando no gancho do bordão que eu e o Acuio defendemos ontem na frente do relógio da Boca Maldita:

M U N I C I P A L I D A D E

Segundo o dicionário de origens curitibanas de Karen Tortato a Municipalidade é um sentimento pré-Getulista criado nos anos 20 em Curitiba quando a população não sentia-se segura diante o Governo da sua cidade. Então a prefeitura do Condado instalou alguns presentes "municipalares" pra enaltecer novamente o orgulho "pátrio no átrio e no ventríloco (quê?) das pessoas. Ou seja, discorria-se sobre o medo de meliantes e geravam-se piquetes. A moeda da época, naquela época era a ARROBA! Quanto valia uma arroba por mulher?

Troca-se gado por moça linda?

Ainda não existia a miscigenação no mundo (ouvi isso estes dias, creiam-me leitores vorazes...)

E numa cidade onde não havia crack e arrobas virtuais, havia e sempre ouve a DEMAGOGIA que inspirava este sentimento coxa branca de MÚ-NICIPALIDADE.

Para o povo brioches, pães e várias estátuas plantadas aos sopé do tédio nos prédios.

Uma sugestão:

Leiam as lápides, placas e estátuas, toda sua munição pra enaltecer o sentemento de municipalidade está lá.

Vote Consciente. Semana que vem mais surpresas na rua!

Karen Munícipio de Tortato



Sempre existiu miscigenação aqui, gente!
eu e Alanis pra provar!

terça-feira, setembro 14

O Leão é malvado e a Carne é fraca.

Pessoal, cá estou eu aqui de novo falando impropérios e destilando meu verbo para uma sociedade insaciável e segmentada de vários Sois. Minha pesquisa em ser uma nova Lua está indo bem, obrigada ashtag de astrologia. Depois que adquiri um par de óculos usado em um brechó estiloso dentro de um bazar incrível me transformei de novo na mesma pessoa. E digo. É difícil mudar muito sua natureza, mas você pode decidir por esta ou aquela Lua no seu dia. Eu escolhi deixar a Lua em Capricórnio, que é a minha e da Adriana Calcanhoto e ficar com a Lua em Sagita, que é a Lua do Nietzsche e do Chico Ciência:



Leão! Não consigo imaginarme desenhando um Leão malvado ainda até porque a Lua em Leão começa em outubro e acabamos de sair de uma lunação em Leão, mas estou no caminho do bem, Huarrrrr! Porque eu desenvolvi uma espécie de sentimento rupestre com este signo. Isso tem explicação. É o óculos do amor, minha gente!



Hoje ainda continuo sagitariando de uma forma mais calma, mas com o limite entre o 100% e o 100 mil wolts. Será que existe uma bomba mesmo pra explodir? Estou tomando litros de água que evaporam logo que a bebida desce na garganta. Isso é o efeito vaporetto na alma. Cuidado com a língua pessoal. Hoje a língua é como o penteado da Medusa.



Por onde anda a Vanusa?



As bandeiras continuam atrapalhando a visão periférica na rua. É a política solta da língua comprida. Vai votar em quem? Vai desvotar em ninguém. Sugiro ação. Sair da frente da TV e criar planos de ação. Desenvolva uma idéia pra melhorar a área que você domina e mande pra .

Vamos trabalhar e ter idéias para um mundo melhor. Na próxima eleição eu e o @ACUIO estaremos na chapa quente, talvez o @getulioguerra...não sei...quanto papel gasto em santinhos? Quanta celulose derretendo seu cérebro como quem toma uma Seleta por dia...Desregulem os botões desta sociedade e vamos caçar os maçons!

Nada contra, eu já disse compadre @herosms, a maçonaria e a bicicleta estão na moda. Poesia, idem.

Aqui vai uma que fiz com meu compadre @andresakr enquanto esfregávamos um chão de cerejeira.

Mnemonicamente.
Mini
(Karen) Monica
Mente!

E para vocês que querem encontrar uma programação legal e sair do anonimato em Curitiba siga esta dica:

quarta-feira, junho 9

Cons…centração! | Saturnália

Cons…centração! | Saturnália

Mulheres Loucas | Saturnália

Mulheres Loucas | Saturnália

Mentiras dos homens | Saturnália

Mentiras dos homens | Saturnália

Sonhos e futuro and passado | Saturnália

Sonhos e futuro and passado | Saturnália

Ondas e sons afetam o cerebelo hoje | Saturnália

Ondas e sons afetam o cerebelo hoje | Saturnália

Pedaços de cerebelo espalhados no lusco-fusco da tarde | Saturnália

Pedaços de cerebelo espalhados no lusco-fusco da tarde | Saturnália

Os medos do cerumanu e perto, o fim do mundo | Saturnália

Os medos do cerumanu e perto, o fim do mundo | Saturnália

Sapatos além de máscaras | Saturnália

Sapatos além de máscaras | Saturnália

quarta-feira, abril 7

Exposição Quinta dia 08 de abril no James Bar - Curadoria Karen Tortato



ARTE INDEPENDENTE E JAMES SESSION APRESENTA



Women Series exposição individual por Dani Baum



PROJETO ARTE COMPARADA 2010 por Karen Tortato



08 de abril de 2010

Show com O Lendário Chucrobilly Man

DJ: Great

DOUBLE CHOPP até 0h

R$ 8

22h



“Dani Baum contextualiza a estética do universo das Pin-Ups com a simplificação da imagem figurativa, econômica, regida pela força da linha, que conversa no espaço delimitando os quadros e dando um movimento que se norteia pela sensualidade do corpo feminimo.”



Klaus Koti - O Lendário Chucrobilly Man



Mais sobre O Lendário Chucrobilly Man: http://www.myspace.com/chucrobillyman





________________________________________________________

VÁ DE BIKE E PAGUE MEIA!

Lista amiga até às 18h do dia: lista@barjames.com.br

O bar abre de quarta a sábado sempre a partir das 22h

Rua Vicente Machado, 894 Batel Curitiba

Fone: (41) 3222-1426
A exposição fica até 12 de maio de 2010

terça-feira, março 23

O LIVRO DE AUTOAJUDA DE KAREN TORTATO

PRÓLOGO

O Livro de autoajuda de Karen Tortato – Prólogo

Pesquisas e milhares de cartas de ouvintes me fizeram escrever este livro e abordar alguns temas inusitados do hemisfério sul do pensamento, o lado direito das emoções, o córtex da alma que provoca dúvidas e todo tipo de paranóia dos tempos modernos, enquanto agem silenciosamente na cabeça dos corações das pessoas. Tempos modernos que transformam o ócio das relações em crime e processos de desencontro. Tempos que o “cerumanu” está em catarse. Apocalipses emocionais, seitas e canastrões abusando de damas indefesas. Mulheres com colapsos nervosos. Filhos, animais de estimação.

Situações limite. Enquanto entramos num novo ano astrológico. Áries ditando como um cavalheiro nossos rumos, pensei que talvez pudesse ajudar algumas pessoas a desatar os nós da alma, pura e simplesmente seguindo a intuição, experiências de vida e o coração. Amar é tão bom!

Gatón recebeu um email da Norma. Ela fez uma pergunta básica:

“- Por que, Dr. Karen, meu marido não me deixa ter um personal traineer na academia que frequento à anos? Eu me cuido tanto e só acho que tenho esse direito, assim como ele tem o direito de ver o jogo do Atletiba quando bem entende. Penso que por ele ser de Escorpião e eu, Peixes, me vejo muitas vezes sem resposta pra esse tipo de conflito conjugal. Me ajude.”

Eu respondo:

Querida Norma. Acho que não tem muito que justificar o fato dos seus signos solares neste tipo de questão. Eu tenho uma sugestão bem simples e ousada. Baseada num caso isolado que me recordo e deu super certo. Faz assim:

Tu pegas uma garrada de Vodka Absolut. Por que esta marca? Porque é status, dá a sensação de poder. É moderna e internacional. Homens adoram status e gostam de poder expressar-se com isso. Whatever. Pode ser uma cerveja importada ou um Whisky Grant’s (que a garrafa é grande).

Deixa a garrafa na pia da cozinha com um bilhete. Neste bilhete você o manda ir ao escritório ou ao quarto, onde tiver um espaço íntimo para ele ficar sozinho por umas 2 horas.

Diz a ele que é uma surpresa, um carinho. Uma motivação. Não se explique, só deixa o bilhete.

Ao chegar lá, enquanto você está na “cadimia”, ele se depara com fotos de modelos sensuais na parede e uma pilha de vídeos eróticos (pode ser de futebol junto). Diz pra ele relaxar, que você já volta…

Se mesmo assim ele não gostar, troque de marido porque você não precisa deste corpão pra esse cara ignorante e troglodita.

Beijos e que Alice esteja com você!

“Dr.” Karen Tortato
e Gatón (secretário)

terça-feira, fevereiro 23

Exposição André Ducci - Curadoria Karen Tortato



Serviço:

Exposição de André Ducci “Esqueletos são simpáticos”.
Curadoria: Karen Tortato
Apoio: Arte Independente e James

Dia 26 de fevereiro, 19:00 no Centro de Criatividade de Curitiba.
Iniciativa da Fundação Cultural de Curitiba.

terça-feira, fevereiro 9

Para Ju

Gata garota
Menina travessa
Goria fortuna
Me deixas assim
Feliz

Menina sardenta
sorriso de li...MEIRA
dentinho de não coelho

Tua alegria me desperta
O zumbi que existia em mim

Adoro te com certeza
vou com você até na Igreja
Rezar e comer quindim

Casar é o futuro
Separar arroz é chato
Melhor comer na rua
Pedir um dogão!

gosto do teu jeito
Alegre e descontraído
Decoro esta letra com rimas lindas
Pra cantar de noite...

Pra vo-xê

e viva o Jorge tamBEN

quinta-feira, novembro 19

SO LOVELY

HERMANITO

Adoro conversas surreais. Aqui hoje com meu melhor amigo e hermano:

Eu: Porque você não gosta mais de mim?

Heros: porque vc me esnoba

Eu: eu não te esnobo, eu idolatro em silêncio!

Heros: hahaha

Eu: E me chicoteio todo dia porisso, hahahaha. Nêgo, você é loucão!

Heros: so lovely

terça-feira, setembro 22

MURO TOP VIEW COMO SUPORTE PARA 30 ARTISTAS




Música no muro


"Elas sempre quiseram fazer um trabalho em dupla e a oportunidade aconteceu com o convite da View Editores para que a designer e ilustradora Karen Tortato e a designer e artista plástica Daniela Baumguertner se inspirassem na música e soltassem o braço no muro da View Editores. Daniela tem a cena urbana como inspiração há tempos e Karen sempre utilizou a música em seus desenhos. "A gente procurou retratar a música através dos sons da cidade, da efervescência de uma multidão, do agito da metrópole que aparece sob a forma de elementos gráficos. É um burburinho! Uma música contínua que não pára nunca, pois a cidade não dorme", dizem as meninas. Elas fizeram uma colagem digital de imagens com fotos originais de artistas e construíram o desenho. "O bacana de fazer intervenção urbana é a sensação de libertação da sua arte para o povo. Sair do ambiente dos museus e misturar..."



Matéria da Top View

Este mês a Revista fez um lindo encarte de postcards com todos os 30 muros que fizeram parte deste projeto!

Beijos e comprem a Revista!!!

E a cidade esvazia

">

Saturnaliando alguns projetos aqui! Como uma "pessoa cidade viva" que curte contar para todos o que acontece na pequena metrópole, este artista é um dos "meus". Divulgar, produzir é uma das minhas obrigações divertidas para estes frutos madurinhos do meu Pinheiral. Confira o trabalho de Caio Marques que também faz parte da banda Bad Folks e baixe as letras aqui: http://www.caiomarques.com

Este projeto do TUC (Teatro Universitário de Curitiba) com o Curitiba Sônica, visa trazer à tona os talentos poucos conhecidos mas de grande visibilidade hoje na cena musical de Curitiba. Para saber mais do projeto: http://www.curitibasonica.com

Ou venha falar comigo! Isto também é Saturnália nas cidade!
Beijos e boa semana com muita música!

sexta-feira, setembro 18

CAIO MARQUES NO TUC ESTE SÁBADO!


Curitiba e Karen Tortato convidam você para ir ao evento "Caio Marques e sua babel sonora no Curitiba Sônica" - sábado, 19 de setembro às 20:00.

Evento:
Caio Marques e sua babel sonora no Curitiba Sônica
Data de início: sábado, 19 de setembro às 20:00
Término: sábado, 19 de setembro às 23:00
Local: TUC - Curitiba

Karen Tortato para http://www.saturnalia.com.br

quarta-feira, setembro 9

A Síntese da essência é que o agora é a eterna alegria

Alegria, culto ao Logun Edé e Itamar Assunção em tributo, festa do infinito, amor no elevador, conquistas e troca de olhares apaixonados, escárnio da ética, piadas, risos, linguajar chulo. Tentar convencer a todos que viver com alegria e estar bem consigo mesmo é melhor que ser triste e achar que viver na Macedônia é melhor. Acreditar nos seus objetivos e principalmente se divertir. É a síntese da essência...

E Itamar Assunção (que não significa pedra-mar, e sim palmeira do deserto como disse sua filha) fecha o ciclo de chuvas e dúvidas, segundo seu discípulo maior, André, o filho do Ravengar. Obrigada pelo belíssimo "não show" e a troca de alegria e risos, lágrimas de emoção. Assim foi o "Workshop Show" de André Abujamra ontem no Teatro Universitário de Curitiba (TUC). Excelente performance da sua amada cozinha com João Igashira e sua linda esposa Melina Mulazanani que detonou nos tambores. Algo de infinita beleza e com certeza, meu dia será mais alegre.





Serviço


O show continua hoje no TUC no horário paralelo de 19:42 com preços de 15 e meia de 7,50 e 2 lugares especiais de 50,00 (?)

Síntese da Essência apresenta o conceito de não show de André Abujamra e terá participação de Melina Mulazani e João Egashira.

Sobre André Abujamra
André Cibelli Abujamra é cantor, compositor, multinstrumentista, produtor e ator. Já atuou em vários filmes brasileiros, como Cafundó (2005), Achados e Perdidos (2005), Carandirú (2003), Durval Discos (2002) e Bicho de Sete Cabeças (2001).
Na década de 80 criou junto com Maurício Pereira a banda Os Mulheres Negras, que produzia música pop experimental com instrumentos eletrônicos. Após algum tempo participou da banda Karnak, e hoje atua em carreira solo.



Isto sim é Saturnália.
Felicidades até dia 18, Lua Nova
Karen Infinita Fortaleza Tortato
http://www.saturnalia.com.br

Meu Tio Frank Vegas

Durval Discos

Meu tio Frank Vegas chegou da reunião de fascistas compositores, meio bêbado. Ele passou a tarde puxando briga num bar por causa de peitos novos e acabou se dando mal por umas fatias daquele bacon. Sua cara ardia e sua barba raspava. Era um dia de chuvas torrenciais em todo lugar. Uma bestialidade de fatores estranhos metereológicos vinha acontecendo e neste turbilhão de horas perdidas vendo o céu de brigadeiro virar um pandemônio, senti a voz do meu tio contando que precisava sempre ter muito dinheiro para poder cobrir os caprichos que algumas meninas exigem em troca de sua atenção. Suas axilas fediam bacon, outro cheiro tenso era o de parmesão. Meu Tio durante anos me importunou com colheradas de queijo Cheddar, agora, depois de anos, o cheiro do ralo o perturba mais que tudo e ele teima em pedir pra pegar suas abotoaduras de dentro daquelas calças sujas. Ele poderia ter vivido anos com aquelas raquetes de tênis e suas coleções de aromas perturbadores. Ainda sinto o cheiro do saco do Tio Vegas em mim, sinto o cheiro ocre de sua pele imunda e suada. Tio Vargas, tio Vegas colecionando chaveiros de motéis baratos nas suas viagens pelos desertos americanos. Como eu gostava de sua câmera LOVE. Me percebi vomitando sobre sua calça branca quando vi o Tio tirar o aparelho de tortura e flagelo da caixa de guitarra....

continua...

quinta-feira, setembro 3

ACUIO 36 Porra

"Poesia para Acuio barra 36 vidas de um gato!"

Terra chama Joaquim Acuio, o globeleza dos astrólogos mais partidários da natureza (rima ruim)
estou aqui em Santa Tereza, tomei quase 6 litros de cerveja, a febre suína passou, o trem que me largou no Brooklyn
quebrou, mas meu coração não é Auviverde, passei raspando de uma sirene.

Fui presa em Newark, bebi demais, cortei os pulsos, caí pra trás
Continuo sorrindo, vendo virginianos progredindo e eu surtando depois do hino (do timão)
Nixon dizia, em Michigan, que depois da crise automobilística, ninguém saía pelo ladrão
Que Guerra e Paz e Watergate eram marcas de sabão, minha gente

Corri o mundo de alto a baixo e agora sonho com a bandeira da Fanáticos
torcer pelo São Paulo? time de gay, no way...
Correr ver o grito da Paulista?
Encontrar meu amigo descansando na brisa de uma Augusta poluída, lendo livros e falando
Sobre Mitos, sobre Terezas, sobre suas proezas.

E discorrendo sobre litros, ouvidos e campanhas anti-tédio
Meu Acuio cheio de alegria que busca na vida
a não letargia, a falta de preguiça o trai e daí ele também se esvai
Se colore de várias vestes e sai correndo atrás
de bruxas do oeste

depois volta coçando a perna e diz que testes de psicoloia não se internam
Basta na sua excentricidade soltar a pena, escrever poemas, arrumar a casa

E mudar de vida, descontruir a linha e voltar ao início...

Cansei de rimas"

Karen Rosa Begônia

Associação de Roberta, de Mônicas...de Rosas



Livre Associação de escárnio
De peixes betas, de moluscos alfas, de ouvido na porta
Livre associação de bebedores de vozes
De luares à luz da sua porta
De estar prestando atenção não mais à sua sombra
Livre associação de poetas incapazes
De colas tenazes
De delírios e de pescoços
Do ode ao rancor à bela silhoueta sua, minha, nossa
Associação dos parasitas enrustidos
Encravada numa zona de perigo
Associação de nomes científicos, de plantas e de fantoches, de homens
de plantações inócues
Associaçãodo bar numa tarde
da vontade decontinuar vivendo, ardendo, escolhendo e não mais pensando...

Associação das criaturas equivalentes?
Não! Inteligentes? Também não?

Associação é uma questão de pele
de febre, de encontro, de feromônio, Deus Apolônio
guardas de trânsito, quebras de sigilo
cartão do prazer, banco sem limite
Associação sem portas, sem vínculos
puramente banal, deixa estar - sangrente, bilateral e talvez, não menos sexual.

Associação de palmares, de Pilares, de santos
de padres, eufemistas, hedonistas
capatazes e coronéis
Associação de uivos e sussuros, de fofocas, de coisas
amarelas

Elegantes, picaretas, cadelas
Associação, de animais, de imortais
De palavras, de coisas do mar...
Da vida no cais, de Vinho do Porto
Bati o morto

Estou pronto, estou colosso
de Odes, de Ades, de liquidificador, de farmácias, associação de venenos
choconhaque, pinga, amarelo
doce de queijo, de beijo
Associação de junho de oportuno pensamento, de um s´ø momento
De cantares, de lugares, de Antonina
de ser menina, da minha tia, Associação de amigas
da Sororó, da minha gente, minha vó...de junho

de fuligem, aprendizes, maldizeres...correntes, associação da reza
da hera, da planta mexida com álcool, da benta, cana benta?
Batida de samba, não....mão, de mambo, de quiabo, batida de pera, de associação...

das macumbeiras, das pombas aladas, das massas geladas, das cobertas transadas
transadas, do sofá arranhado, do cabelo pintado, de todas as praças,
das abas, dos meandros, dos leandros e limões e Joões e alemões....


Feliz Junho de Inverno, feliz verão de novembro

Karen Rosa Begônia

sábado, agosto 8

Ondas e Luas, mulheres (uma conversa sobre navegação)


Hokusai - A Onda

Tatuador metido a besta não acha legal eu usar uma onda na minha própria "costa"?

Bem, segue o post que fiz pro Saturnália.

Agora escrevo ou não (como ele diz), neste site delicioso chamado Saturnália!

Passeando com Acuio e falando de marés, mulheres, dinheiro, homens e hormônio pra cavalo, além do engodo da psicologia e outros assuntos afins:

Segue aqui:

O esforço é grande, o homem é pequeno,

Eu, Diogo Cão, navegador, deixei

Este padrão ao pé do areal Moreno

e para deante, naveguei

A alma é divina e a obra é imperfeita.

Este padrão signala ao vento e aos céus

Que na obra ousada, é a minha parte feita:

o por-fazer é só com Deus.

E ao imenso e possível oceano

Ensinam estas Quinas, que aqui vês.

Que o mar com fim será grego ou romano:

o mar sem fim é português.


Fernando Pessoa


Como este poema, o navegador Amyr Klink atravessou os perigos do Atlântico Sul à bordo de um barco à remo, coisa praticamente insana naquela época e com ajuda da alta tecnologia e várias inteligências de navegação, ele partiu do porto de Lüderitz, na costa da Namíbia, África, o navegador então com 29 anos de idade aportou solitariamente cem dias depois na Praia da Espera, no litoral baiano. Em 18 de setembro de 1984 aportou em Salvador, sendo por “navegador solitário”.

Em seu livro, que li como forma de superar meus medos diante de uma espera infinita que dura 4 anos, recebi uma força excomunal de fazer acreditar naquilo que a gente busca. Aja fôlego, obrigada pelas forças do mar e de meus amigos saturnálicos. Fora isso, fora ler o livro na espera do meu tão sonhado VISA, com a minha luazinha de capri entrando em meu porto de aguadeiro, me chamou atenção a passagem onde ele, Amyr se orientando por barômetros e bússolas, por famílias de peixes dourados que o acompanharam demonstrando confiança no ritmo, ataques de tubarões gulosos por marcas no casco, por colônias de larvas, atormentando por baleias gigantes e as incíveis ondas regidas pela Lua, trancrevo aqui alguns detalhes que me chamaram atenção no livro, parafraseando um post do Acuio (que cito mais abaixo) sobre as viúvas, naturalmente falarei de mulheres e suas luas.

Acompanhem o que Amyr Klink descreve sobre a nomenclatura divertida das ondas, que de acordo com as Luas, se comportam como mulheres em períodos de nascentes ou crescentes humores, enigmáticas formas de acordar e supreendentes formas de dormir, mulheres ondas que de ciclo em ciclo assustavam o navegador, ora como viúvas, ora como amantes, ora como madrastas impiedosas e más…

“E, assim, entre discussões e mal-entendidos com as ondas, passei a coviver suportavelmente com seus humores. Senti que não deveriam ser xingadas quando me enfureciam, pois sempre respondem à altura.

Desse forçado relacionamento, surgiu, no meu diário, uma classificação não muito ortodoxa para as ondas…

As Madames

Ondas imensas, com cristas e colares formando muito espuma branca, mas que, com toda pompa, não me faziam mal algum.

As Fresquinhas

Não eram grandes, mas sempre se sobressaíam.

As Cuspideiras

Pequenas e mal-intencionadas e nunca deixavam a roupa secar direito, pregam peças e são de lua.

As Comadres

Parecem amigas, mas não são de confiança. De vez em quando acertam o barco por trás.

As Perdidas

Chegam com a lua nova e o mar agitado, atacando por todos os lados, tontas, cansadas, chegam a 9 metros de altura e me deixam desprotegido e vulnerável.

As Viúvas

Nunca avisam a hora de chegar e são impetuosas, silenciosas, insistentes e caem repentinamente conforme a Lua muda. Desaparecem por tempos e voltam quando algo está normal.

As Madrastas

Com elas é capotagem certa.

E você, mulher? que tipo de onda você está?

Pra relembrar mais um pouquinho da Rua Augusta, uma parada nossa pra ouvir na loja, pra ouvir Adriana Calcanhoto, que é Lua em Capri como eu:

Marítimo de Adriana Calcanhoto

Beijos da aguadeira sonhadora Karen “alga marinha” Tortato


legenda da foto:
A Onda de Hokusai: que será tatuado nas minhas “costas marítimas” hora dessas.

GRIPE SADIA

Pare de me atormentar com esse papo de gripe porcalhona e vá lavar as mãos e comer frutos. Estive uma semana em SP, andei pra lá e pra cá e vi um em cada seis mil e oitocentos paulistanos de máscara. Ridículo! A gripe sazonal ano passado matou 4500 pessoas, e isso ninguém sabe. Pior aqui em Arkam Asilum City (como diz meu astrólogo-amigo), muito pior aqui o pânico.

Fui no Parque Buenos Aires brincar com o Pedro e a Je de fazer bolos e castelos de areia. Milhões de babás e mamas numa boa, se auto-infectando. Odeio medapânicahorrora (lembra Crizi?). Porque na década de 50 a gripe espanhola mata mais que bala de carabina!

Veja o video abaixo, tome água, coma mais azeite de Olívia, mais frutos elave essa mão, pronto! Tome 100 litros de água e me deixe em paz!


http://www.youtube.com/watch?v=SmpelduRY3I


Realmente, gente (paulistano adora falar "gente", assim como os curitibanos jovens falam "massa"), o cigarro mata e entope o pulmão de ácaros fuliginosos de muita coisa que afeta o sacro-santo corpo do "cerumanu" aqui. Fumei aos 14 anos porque era meio glamour 80, mas hoje faco natação duas vezes por semana e meu pulmão necessita urgente de paz de ar!Por conta da proibição fascista de não poder fumar em lugar nenhum, aderi à uma eterna garrafa de água portátil e evitar a vontade com adesivo e pasta de dente, ajuda...acho!
Recém tragada pela megalópole e com sede de revanche por lá, mêmo! Vamo que vamo! Boa madrugada! Bom dia!

Karen "dentes brancos e hálito puro" Kolynus, ahhhhhh!

quarta-feira, julho 29

I´ve got your number

FASTER AND FASTER...


I've always felt so scared of all this needing
Everyone that I've met has been somewhat mistreated
That's how it feels when you know that something's wrong.

Then you came along like a swan off of the lake
You flew across my eyes and out into space,
And I ran and I crawled and I chased to get out fast.

That's what I did... (Whoa! )

If there's just one thing you got to remember;
Is to write down your name and your phone number
That way I'll have it and we'll make something out of this mess, oh!

And if all else fails then the ship won't set sail.
God forbid but I guess the both of us will bail
But as far as I can tell I think things will be swell.

Have you seen me cry tears like diamonds
Down and down they fly, faster and faster like the speed of our love
Batting a thousand, but a homerun crack at love
This is where I tell you that, I know love's what I need to work at

So now the two of us rely on each other
With our premonitions out in the gutter
Who would have thought that I'd make it this far

I'll make it seem like I'm stronger but I'm quite the actor
And now I'm so caught up and I can't escape this pattern
But when I started losing hope, there you were, there you bloomed

Have you seen me cry tears like diamonds
Down and down they fly, faster and faster like the speed of our love
Batting a thousand, but a homerun crack at love
This is where I tell you that, I know love's what I need to work at
(Whoa! )

Diggy diggy diggy diggy diggy boom boom!
Diggy diggy diggy diggy diggy boom boom!
Diggy diggy diggy diggy diggy boom boom!
Diggy diggy diggy diggy diggy boom boom!

Have you seen me cry tears like diamonds
Down and down they fly, faster and faster like the speed of our love
Batting a thousand, but a homerun crack at love
This is where I tell you that, I know love's what I need to work at, oh
What I need to work at, oh


em breve estarei no http://www.mondobacana.com normalmente

terça-feira, junho 30

Frase do dia:
enochato é tão chato quanto ecochato e viajoomundochato!
Suzanne Vegas chata

sexta-feira, junho 26

Chuck Violence, um dos melhores One Man Bands!


Foto por Adriana Vecchi


O show do projeto Wonkabilly, domingueira que vem acontecendo faz um pouco mais de 1 mês no Wonka, fechou a noite do último domingo com um monobanda muito competente. "Ele" se chama Chuck Violence and His One Man Band from Blumenau. Eu cheguei com pressa de ver o show do rapazinho que até então havia tocado no La Lupe numa Invasão de Monobandas recentemente.

Termo esse muito original pra descrever estes "one men bands" que geralmente seguem um padrão, uma lógica, de ter uma bateria, guitarra e vários instrumentos de apoio, sejam guitarras, pedais, auto-falantes e gaitas. O que a criatividade musical mandar embalada num espetáculo de pernas e braços se movendo incansavelmente, eles são capazes de provar que fazem.

O processo One Man Band é um polvo barulhento que pode espirrar tinta musical, desde covers até versões mais loucas de músicas conhecidas do universobilly ou não. No caso do pequeno e venenoso Chuck Violence isso vai se esgueirando por influências que vão do country, blues, hillbilly, jazz, soul, punk, trash e garage.

"Introducing", que é a música de abertura, é uma cavalgada, assim como ilustra a camisa do dito cujo no dia do show. (Inclusive me apeguei à camisa por achá-la super inusitada no momento, mesmo!).

Ferradura pura de um som mais linear do antigo pesado-quebradeira, com um quê de mexican-texas. Esta música me lembra o arranhão de um Robert Jonhson caminhando enlouquecido pelos desertos nunca antes trilhados. Música bárbara e irada, por vezes sinto mais que um cara golpenado guitarra totalmente acústica e barulhos dos metais longínquos provocativos e ensandescidos. Vocalização maldita pra alguém de um porte tão pequeno que consegue arrancar o melhor dos instrumentos sem misturá-los e sem fazer parecer algo distonante porque esse é o estilo Chuck de fazer bagunça.

Na sequência do punch com guitarra, muito bumbo e um auto-falante, ecoa na voz de fundo do cara Chuck, a música seguinte "Hey! Bo!", não menos caótica e existencialista das pradarias, porém mantém a a linearidade das sequentes batidas esquizofrênicas, uma voz bela e uma atitude punk dentro do contexto caipira irado na música do pequeno notável.

Gosto muito de "When The Saints Go Marchin' In" porque me lembra aquele antigo caipira americano negro que já falei, o Robert Jonhson com toda carga mexican-aire-flamenco e roots nas guitarras. Aterrorizante.

Em "Mamma Pankake" uma dominada introdução muito mais psycho que billy. Rapidez junto ao auto-falante e o discurso inquietante desta bela canção mais pesada e com sopros temáticos de um apito jazzístico totalmente inesperado na canção.

Acertativamente sinistra é "My Woman Down" que leva ao fundo do poço numa marcha-lenta de terror e sarcasmo. E por ai vai, este novo e mais afinado membro da equipe "One Men." Escapulindo de leve da velha fórmula e nos tecendo os ouvidos com meandros de discuros; um bem mais diferente que o outro. Banda ele, que segue os preceitos de Reverend Beat Man. Chuck Violence é alguém que pegou bem os sons nostálgicos dos anos 60 mais uma violência punk mexicana e sulamericana, mesclado no puro rock' n' roll de DM Bob. Vindo de uma cripta sulista de um calibre cheio de humanidade com muita delicadeza e peso. E acompanhem o trabalho genial de Chuck Violence pelo My Space e sigam os bois. "One Men from Blumenhell" veio pra ficar por estas pradarias geladas e ferventes de boas iniciativas e ouvidos ávidos!"

Chuck Violence é um extraordinário One Man Band, nascido no Brasil, emigrou para o México levando na bagagem o seu demente e extasiante cocktail de blues-punk com sabor a "tequila-twist", "Bandolero Mexicano" é um disco obrigatório, quatro canções que provocam graves e incuráveis sequelas quando as escutamos, pois damos por nós a trautear as suas melodias sem nos apercebermos, arribaaa! maravilhoso "bandolero". Rock Around the Blog

Set list
1. Introducing
2. Hey, Bo!
3. Mama Pancake
4. Gunfighter
5. Fish Fight
6. Blues is a Woman
7. Sweet Home Chicago
8. After 8' Man
9. When The Saints Go Marchin' In
10. Sailin' On
11. Carmen
12. I saw a Devil
13. Mojo Workin'
14. La Pomata
15. Waddlin' Around

MySpace